Imposto sobre o rendimento Golden Visa. Perguntas e respostas.

0
73

O imposto sobre o rendimento das pessoas singulares chama-se Impuesto sobre la Renta de las Personas Físicas (IRPF ou RENTA) em espanhol. A lei fiscal exige que todos os residentes em Espanha o declarem e paguem dentro de um prazo estabelecido.

Tenho de apresentar uma declaração RENTA para a residência em ouro?

A Lei do Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares espanhola estabelece que todos os residentes em Espanha, independentemente da sua nacionalidade ou tipo de residência, são obrigados a apresentar uma declaração de imposto sobre o rendimento das pessoas singulares. Do ponto de vista da legislação fiscal, uma pessoa é considerada residente se tiver vivido em Espanha durante 183 dias por ano. Se não residir mais de 183 dias por ano, será tributado como não residente.

A diferença entre o imposto sobre o rendimento das pessoas singulares e o imposto sobre os não residentes.

Imposto sobre o rendimento das pessoas singulares:

É necessário declarar os seus rendimentos a nível mundial. Isto significa que, se viveu em Espanha durante 183 dias, terá de pagar impostos sobre os seus rendimentos tanto em Espanha como fora do país. Por exemplo, se vive em Espanha mas tem rendimentos noutro país, os rendimentos desse país também serão tributados em Espanha.

Note: Alguns países e a Espanha assinaram uma convenção internacional para evitar a dupla tributação, o que significa que se o mesmo rendimento for tributado nesses países, pode solicitar uma isenção fiscal em Espanha.

Imposto para não residentes:

Só tem de declarar os seus rendimentos em Espanha. Por exemplo, se não vive em Espanha, mas tem uma propriedade em Espanha para alugar, a renda recebida será tributável. Não é necessário declarar os rendimentos obtidos fora de Espanha.

Tenho de declarar se viver em Espanha mas não trabalhar?

Sim, porque o imposto sobre o rendimento das pessoas singulares incide sobre os rendimentos mundiais dos residentes. Isto significa que um residente em Espanha será tributado em Espanha pelos rendimentos obtidos noutros países. A lei considera que, uma vez que vive em Espanha e tem acesso aos recursos e benefícios do Estado, é obrigado a pagar o imposto neste país. Por conseguinte, se é residente em Espanha, também terá de declarar os seus rendimentos no seu país às autoridades fiscais espanholas.

Em teoria, os rendimentos obtidos noutro país são tributáveis em Espanha, embora na prática seja comum ocultar os rendimentos obtidos no estrangeiro. Isto deve-se ao facto de os rendimentos auferidos no estrangeiro poderem não ser detectados pelas autoridades fiscais espanholas.

Nos últimos anos, o Governo espanhol tem vindo a insistir na troca de informações financeiras com outros países, ou seja, se um residente em Espanha tiver propriedades ou rendimentos noutro país, as autoridades fiscais espanholas serão as primeiras a ter conhecimento desse facto.

A fim de dispor de informações sobre os bens dos residentes no estrangeiro, a legislação espanhola estabelece igualmente que todos os residentes são obrigados a declarar os seus bens no estrangeiro (formulário fiscal 720). Se tiver poupanças ou activos de valor igual ou superior a 50 000 euros em qualquer outro país, deve declará-los.

Embora a troca de informações financeiras esteja a circular há muito tempo, ninguém sabe exactamente como é aplicada. O Governo espanhol nunca conseguiu confirmar se tem ou não conhecimento dos bens e rendimentos de alguns países.

O facto de não declarar RENTA afectará a minha residência?

A lei estabelece que um dos factores a ter em conta na apreciação da prorrogação da residência é a existência de dívidas fiscais.

Para os estrangeiros que vivem e trabalham em Espanha, é mais fácil para o Governo espanhol conhecer a sua situação em termos de rendimentos (por exemplo, através dos registos da segurança social). Por conseguinte, as autoridades de imigração são mais permissivas e nem sempre verificam a existência de dívidas fiscais aquando da mudança de residência.

Por outro lado, no caso dos residentes “gold”, as autoridades de imigração verificarão se o requerente pagou o montante total do imposto e, por vezes, pedirão mesmo um certificado de não pagamento do imposto.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here