Posso candidatar-me a residência permanente na UE com um visto de procura de emprego?

0
23

Residência na UE

UE permanente A residência permanente (denominada “residencia larga duración-ue” em espanhol) é também conhecida como Residência permanente da UE, residência permanente da UE ou Residência na UE. Embora existam muitos nomes diferentes, trata-se efetivamente do mesmo tipo de residência.

Nota: Residência permanente na UE e residência familiar na UE são dois conceitos diferentes.

O primeiro requisito para requerer a residência na UE é ter vivido em Espanha continuamente e legalmente durante 5 anos ou mais. O período mínimo de ausência é de 6 meses num período de 5 anos e o período total de ausência não pode exceder 10 meses.

Posso candidatar-me a residência permanente na UE se tiver um visto de procura de emprego?

Pode requerer a residência permanente na União Europeia se tiver vivido legalmente em Espanha durante 5 anos consecutivos.

Uma vez que a autorização de trabalho era anteriormente conhecida como autorização de estudante, é de notar que, em teoria, o período de residência como estudante não pode ser considerado como residência legal. O termo “residência legal” na Lei de Estrangeiros espanhola refere-se a residencia, enquanto que viver em Espanha como estudante se chama estancia.

No entanto, de acordo com o artigo 152.º do Estatuto dos Estrangeiros de Espanha, o período de residência como estudante é com um desconto de 50% para efeitos de pedido de residência na UE. Por outras palavras, se estive em Espanha durante 4 anos como estudante, este período será contabilizado em 50% para efeitos de pedido de residência na UE, ou seja, 2 anos.

De acordo com o cálculo acima, para requerer a residência permanente na UE, é necessário ter 8 anos de residência como estudante mais 1 ano de residência para encontrar um emprego.

Preciso de um contrato de trabalho?

Para requerer a residência na UE, tem de provar que é capaz de se sustentar. A lei exige que o requerente comprove um rendimento mensal médio equivalente a uma vez o índice IPREM (600 euros/mês). Se o requerente tiver pessoas a cargo, o rendimento é acrescido de 50% do índice IPREM por cada pessoa adicional a cargo. Não é obrigatório ter um contrato de trabalho.

Se o requerente for trabalhador, a melhor forma é apresentar documentos como contracheques, apólices de seguro ou contratos de trabalho. Se o requerente for proprietário de uma loja, basta apresentar várias declarações fiscais e o RENTA. Não existe uma lei rígida sobre os documentos a apresentar neste domínio, mas apenas que o requerente deve provar que dispõe de meios económicos suficientes.

Se está à procura de emprego e não tem emprego, pode apresentar outros comprovativos de rendimentos.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here